Carteiristas electrónicos

Luis de Matos - Thursday, March 31, 2011 - Comentários (0)

Longe vai o tempo em para sermos roubados era necessário que fisicamente nos tirassem a carteira. Já não constitui ficção achar que numa qualquer fila de aeroporto, à entrada dum estádio ou durante um concerto podemos ficar irremediavelmente mais pobres. Não é sequer necessário que nos toquem para que fiquemos sem dinheiro, serviços e até mesmo identidade.

Com o advento de cada nova tecnologia não é preciso esperar muito para que ela possa voltar-se contra nós, fruto da imaginação e perversidade de alguns. Foi isso mesmo que aconteceu com a identificação por rádio frequência, o RFID, uma tecnologia que utiliza comunicação via ondas de rádio para a troca de dados entre um leitor e uma etiqueta electrónica acoplada a um objecto. Esta tecnologia vem substituir as clássicas bandas magnéticas, sobretudo porque pode armazenar mais informação e pode ser lido mais rapidamente.

Cada vez mais transportamos connosco as ditas etiquetas electrónicas sob a forma de chip. São comummente encontrados em cartões de crédito, passes de transportes públicos ou os usados para abrir portas ou levantar baias em estacionamentos como, também, nos mais recentes passaportes electrónicos. Tudo o que há a fazer é simplesmente passar o cartão na frente de um leitor e tudo aquilo que ele representa se torna para nós imediatamente acessível.

Acontece que, por menos de cem euros, podemos comprar leitores na internet. Leitores que, convenientemente adulterados e adaptados na forma e aspecto, podem passar perfeitamente despercebidos nas mãos de um qualquer amigo do alheio. Transporta-se tranquilamente na mão e, uma vez próximo das nossas carteiras, absorve toda a informação que permite ao larápio tecnológico aceder a tudo aquilo que pensamos guardar em segurança no nosso bolso.

O roubo acontece, por isso, em circunstâncias semelhantes às clássicas mas com tecnologia dos dias de hoje. Situações em que dividimos o nosso espaço com muitos outros, como filas, manifestações e concertos, são absolutamente ideais. Como podemos proteger-nos? É mais ou menos fácil mas não necessariamente prático. Basta envolver a nossa carteira em papel de alumínio ou então comprar umas carteiras especiais com aspecto mais ou menos normal à venda online.

E atenção que os verdadeiros profissionais já não roubam para consumo próprio. Uma vez obtida toda a informação que permite, por exemplo, utilizar em pleno os nossos cartões de crédito, ela é disponibilizada na internet. E claro, os que acharem que isto não é verdade, pesquisem no google a expressão “fresh cc”. Esta é essa a palavra código que permite comprar na web a informação mais fresquinha… “fresh cc” quer exactamente dizer “cartão de crédito fresquinho”.

“Como se rouba na rua sem qualquer contacto”

Comentários (0)
Post has no comments.
Deixe um comentário




Captcha Image