ILC contra AO

Luis de Matos - Thursday, December 15, 2011 - Comentários (5)

Uma ILC é uma figura prevista no regulamento da Assembleia da República mediante a qual um grupo de cidadãos pode submeter um Projecto de Lei à votação em plenário. Por outro lado, AO é, para alguns, a sigla pela qual se conhece o “Acordo Ortográfico” e, para outros, as iniciais de adjectivos como “Anormal” e “Obtuso”, que bem descrevem o referido e suposto acordo.

Na história do nosso país, nunca nenhum grupo de cidadãos alheios a quaisquer partidos, organizações, ordens ou tendências políticas, fez uso da prorrogativa legislativa a que tem direito. No caso presente, esta ILC visa revogar a resolução que implementa o Acordo Ortográfico em Portugal. A suspensão do AO pretende criar condições para que efectivamente se averigue a necessidade de um acordo ou, no mínimo, para que se corrijam as graves deficiências que unanimemente se lhe reconhecem.

No meu círculo de amigos, nove em cada dez pessoas consideram o Acordo Ortográfico um verdadeiro hino à patetice e à subserviência saloia. Na internet multiplicam-se os grupos de indignados com a implementação de uma resolução que não traduz qualquer acordo e muito menos tem uma motivação ortográfica, um dos quais com quase 150.000 cidadãos. A ILC é a única forma de eficazmente fazer ouvir a nossa voz. Para tal são necessárias 35.000 assinaturas em papel. O número de assinaturas está próximo de conseguir-se mas é muito importante que seja largamente ultrapassado para que, para além de conseguirmos parar com a implementação da verdadeira aberração que é o AO, consigamos igualmente demonstrar a quem manda que não podem fazer tudo o que lhes apetece quando, dando jeito a alguns, prejudica e vai contra a opinião da grande maioria.

Até hoje, não houve um único argumento dos defensores do AO que resistisse à mais inocente e humilde das argumentações. Porquê? Porque, por muito criativos que sejamos, é sempre extremamente difícil defender o indefensável. Porquê? Porque a evolução da língua faz-se com a passagem do tempo, com a intervenção dos falantes e não por acordo. Porquê? Porque a nossa língua não pode estar à mercê de políticos que, mesmo sem a dominar grandemente, decidem penhorá-la vendendo a nossa alma ao Brasil de Lula e aos interesses geopolíticos de alguns. Porquê? Porque nada podemos fazer às fotocópias mal tiradas e cujo pormenor se perde no próprio processo, mas sim podemos evitar convertê-las em norma e destruir o original.

Não podemos resignar-nos ao AO. É preciso dizer não ao português do Brasil e defender o português de Portugal. Uma língua não evolui por imposição. Uma língua não pode servir agendas pessoais. A ILC não é apenas uma forma de parar o grande disparate do suposto Acordo supostamente Ortográfico. A ILC é igualmente uma forma de fazer saber a quem manda que nós por cá estamos atentos. É fácil, basta visitar o site http://ilcao.cedilha.net/ , ou seguir o código abaixo reproduzido, imprimir o documento que aí se disponibiliza, assinar e enviar pelo correio. Não temos que ser eternos conformados. Podemos fazer a diferença. Está na altura de assegurar às próximas gerações aquilo que os nossos antepassados garantiram para nós... a Língua Portuguesa.

“A língua é um património que não pode ser alienado por um grupo de iluminados...”

Comentários (5)
Mário Fernandes commented on 21-May-2012 10:31 PM
o Acordo Ortográfico um verdadeiro hino à patetice e não só. Ignorância e mediocridade por vezes andam de mãos dadas.
Fátima TG commented on 21-May-2012 11:08 PM
Estou absolutamente de acordo com os objectivos da ILC . O AO, ao fazer tábua-rasa da etimologia , apaga a história da Língua Portuguesa. Foi um acordo de oportunistas - como bem disse hoje uma GRANDE professora, Dra. Maria do Carmo Vieira, no programa
OLHOS NOS OLHOS, que acabei de ver na TVI24. Tudo isto é uma vergonha - e tudo deve ser feito para impedir que vá por diante.
Paulo Teixeira commented on 24-Aug-2012 12:00 PM
A minha posição face ao novo AO é apenas uma: enaltecer quem o rejeita e criticar quem o utiliza! Chumbados estão: a RTP, a SIC, a TVI, a SONAE, O MILLENNIUM BCP, o MONTEPIO, a CGD, a DOVE, o LIDL e outras mais. DE Parabéns, por resistir à aceitação do
novo AO estão: o PINGO DOCE, o CORREIO DA MANHÃ, a NIVEA, o PÚBLICO, o CCB, EU e todos aqueles que ainda recusam tão descabido acordo.

Deixe um comentário




Captcha Image